O FUNDAMENTO ETERNO: CRISTO

Como a tempestade, assim passa o ímpio, mas o justo tem perpétuo fundamento.

Provérbios 10.25

A pessoa que se dá a impiedade é má consigo mesma, pois se afasta da Fonte de amor e se lança nas mãos do ser que é completamente mau e perverso (Jo 10.10). Não há como comparar o Senhor ao inimigo, pois Deus é totalmente bom (Sl 145.9). Jamais os que serviram ao Altíssimo foram abandonados nas suas lutas ou deixaram de ter o socorro divino (Sl 46.1). Ainda que tivéssemos de trabalhar a vida toda para pagar pela salvação, valeria a pena.


O ímpio é comparado a uma tempestade, fenômeno que nunca ajuda. O espírito que habita no seu coração é o da maldade e, por isso, tudo o que ele poderá lhe fazer será puro prejuízo. O maligno é quem governa o seu interior, e, por esse motivo, a sua obra sempre causará dano a alguém. Quanto mais tempo uma pessoa continuar debaixo da opressão do pecado, mais a sua natureza se tornará má, pois ela se alimenta da fonte errada.


O Senhor compara quem vive impiamente com a tormenta que traz todo o tipo de dano e ameaça. Ela não dura muito tempo, mas sempre deixa um rastro de destruição. Ainda que você se esforce para ser amigo de um ímpio, verá que a fúria dele não o poupará. É preciso ficar vigilante com essa pessoa, pois, quando tiver oportunidade, ela mostrará o que realmente tem dentro do coração (Sl 37.12).


A pessoa ímpia é frustrada em todos os sentidos, pois não tem a ajuda divina que poderia levá-la ao sucesso. Ora, como alguém pode fazer o bem se despreza Aquele que é o Autor de tal virtude? Ele vai de mal a pior e, para se explicar ou justificar, sempre tem argumentos que, aos seus olhos, são os responsáveis pela sua conduta. Quem poderá justificá-lo se ele escolheu o caminho oposto ao de Deus?

Já o justo, durante toda a vida, terá o Senhor como a sua base e, por essa razão, ainda que o Inferno se lance contra ele, com toda sua força, não obterá sucesso. Em suas lutas, ele terá o Altíssimo como seu Sustentador e não será abalado ou atingido, pois está firmado na Verdade (Sl 125.1). A recompensa do justo é a misericórdia divina que sempre o cerca e o protege de todas as setas disparadas pelo inimigo (Sl 23.6).


Ao justo não falta inspiração nem poder para realizar os seus sonhos, pois continuamente está envolvido por Quem é bom e completo; por isso, ele vê a saída para todos os seus problemas. O maligno anda ao nosso derredor, buscando uma brecha para nos atingir, e não consegue. No entanto, se nos desligarmos do Senhor, o adversário terá condições de atingir-nos (1 Pe 5.8); fora disso, seguiremos pela vida sem sermos tocados pelo mal (1 Jo 5.18).


A pergunta que não tem explicação é: por que alguém se deixa enganar pelo inimigo e se torna ímpio? Ora, sendo justo, ele tem perpétuo fundamento, não cai na conversa do diabo, não é atingido pelas suas maldades e sempre vence. Tome a decisão de ser um praticante da justiça divina e, assim, você jamais provará nenhuma das obras do maligno.


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo